segunda, 13 novembro 2017 16:39

Conjugar o tradicional com a modernidade é a estratégia do Intermarché

A insígnia alimentar do Grupo Os Mosqueteiros inaugurou em Lagos o primeiro hipermercado em Portugal baseado no conceito de praça e de mercado tradicional. “A aceitação por parte do consumidor está a ser muito boa e, por isso, este conceito será para reproduzir em outras localidades”, segundo a aderente responsável por esta loja, Anne Sainte-Marie, que, juntamente com o administrador do Intermarché, Vasco Simões, explicam o que levou a este investimento de quatro milhões de euros.


Durante os dois últimos anos, o grupo teve como foco a consolidação e a remodelação do parque de lojas. “Durante este período o objetivo foi melhorar as nossas lojas e proporcionar uma experiência de compra mais fácil e rápida para quem nos visita”, explica o administrador Vasco Simões. Foi com esse objetivo em vista que a insígnia avançou para o novo conceito de praça e de mercado tradicional.

Este novo conceito visa materializar a essência do Intermarché – o tradicional da distribuição moderna, segundo a aderente responsável pela loja de Lagos, Anne Sainte-Marie. “Este é o nosso posicionamento: servir de forma tradicional com a proximidade das mercearias do antigamente, mas moderna e que responda às necessidades dos clientes”, refere. Assim, o espaço “demarca-se por completo da concorrência” e centra-se nos frescos, que preenchem a praça central. “Os produtos frescos são a bandeira do Intermarché e a frescura é a palavra de ordem nesta nova loja”, acrescenta.

Também a aparência é diferente, pois foi desenhado como se tratasse de um mercado tradicional, após definidas as três missões de compra: imediata, diária e semanal. A compra imediata é composta por pão, take away, sumos frescos, sushi, iogurteria e outros produtos de consumo imediato, os quais se encontram na entrada da loja. A compra diária inclui toda a gama de frescos, como o peixe, carne, frutas e legumes. Finalmente, na semanal está a restante gama da loja, incluindo a garrafeira. “Este conceito foi criado com base na nossa experiência e no que entendemos serem as necessidades dos nossos clientes”, diz a aderente responsável pela loja de Lagos. “Os donos da loja perceberam que havia uma clara lacuna na oferta nessa região e que havia espaço e margem para crescer, foi com base nessa análise que decidiram aumentar a superfície comercial e a oferta de produtos”, acrescenta Vasco Simões. “Para além dos clientes residentes em Lagos, esta loja conta também com um perfil de clientes muito particular: estrangeiros a viver ou de visita a Portugal que procuram variedade e produtos de qualidade específicos”, diz, ao explicar a aposta nas refeições prontas e convenientes para levar para a praia. “Para estes clientes é importante uma experiência de compra confortável e rápida e por isso apostou-se no livre serviço, que facilita o acesso aos produtos e permite fazer uma gestão otimizada de recursos”, adita Anne Sainte-Marie.

Para completar a oferta das galerias comerciais, o hipermercado de Lagos inclui ainda um Burguer King e o primeiro franchising da FNAC em Portugal, sendo este explorado pelos proprietários deste Intermarché. “A relação entre o Intermarché e a FNAC é muito profícua em França e quisemos trazer parte dessa cultura de parceria para Portugal. Temos a certeza de que, à semelhança do que acontece em França, também em Portugal este será um casamento feliz para ambas as marcas”, explica Anne Sainte-Marie.

Segundo a aderente responsável pelo Intermarché de Lagos, os objetivos da loja estão a concretizar-se e, desde a reabertura, o volume de faturação já aumentou em 20%. “Por dia temos mais de 3500 tickets a sair das caixas”, concretiza, sendo que a perspetiva é para um crescimento.

 

Este artigo pode ser lido na íntegra na última edição impressa da Store Magazine.

 

Fonte: Store

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária