quinta, 30 novembro 2017 16:39

Mango investe 2,6 milhões na nova loja de Lisboa

A Mango tem uma nova loja em Lisboa, no edifício Éden, nos Restauradores. É uma flagship store com 1000 metros quadrados, que aposta na modernidade e tecnologia para dar uma melhor experiência de compra ao cliente. Ao todo, a marca investiu 2,6 milhões de euros no espaço.

 

Não é a sua maior loja em Lisboa, mas é a mais importante, segundo o vice-presidente da Mango, Daniel López, já que representa o ADN da marca. Com uma decoração contemporânea, industrial e sofisticada, a loja foi desenhada "para refletir a personalidade da marca" e oferecer uma melhor experiência de compra. A pensar nisso, e para que os clientes tenham em loja uma experiência tão boa como no online, a marca apostou também em novas tecnologias, como provadores digitais onde os clientes podem experimentar diferentes modelos digitalmente. Dotou o espaço também com wi-fi e uma zona específica para click & collect.

"Necessitamos que o cliente tenha uma experiência que seja consistente. Não pode ter uma experiência excelente online e uma experiência deficiente nos meios físicos", afirma o responsável, salientando que o cliente escolhe cada vez mais onde e quando quer ligar-se à marca e que, por isso, as marcas têm de dar o seu melhor em todas as frentes.

Num espaço de três pisos, disponibiliza coleção de mulher, homem e criança. Atualmente, a Mango tem 55 lojas em Portugal e vai continuar a expandir-se por terras lusas: em breve, terá outra flagship no MAR Shopping Algarve: "Vamos abrir outra flagship em Loulé, no Algarve, maior que esta mas com um conceito semelhante", avança o vice-presidente.

A aposta em Portugal é para continuar, já que - afirma - "o país está no top 10 para a Mango", representando cerca de 2% da sua faturação global. Na baixa lisboeta já tem quatro espaços - na Avenida da Liberdade, Restauradores, Chiado e Rua Augusta - e todos vão manter-se abertos, porque "chegam a públicos diferentes".

Além de novas aberturas,  vai também apostar na renovação de lojas já existentes, para uniformizar o conceito. "Tem de estar tudo alinhado neste conceito, o cliente tem de ter uma boa experiência de marca em todos os locais", refere Daniel López, sem avançar o investimento para as remodelação.

Fonte: Mango

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária