sexta, 12 janeiro 2018 11:06

Vendas do Grupo Jerónimo Martins sobem 11,3% em 2017

As vendas do Grupo Jerónimo Martins atingiram 16,3 mil milhões de euros em 2017, mais 11,3% do que no ano anterior. O aumento foi acompanhado pelo reforço de posição no mercado de todas as insígnias do grupo, nomeadamente Biedronka, Pingo Doce, Recheio, Ara e Hebe

.

"Fortes ações comerciais combinadas com ajustes sazonais ao sortido" levaram as vendas totais da Biedronka a aumentarem 13,2%. O Pingo Doce viveu, em 2017, um "ambiente ligeiramente mais positivo em Portugal", o que permitiu mais 3,1% nas vendas totais, face a 2016. O Recheio registou uma subida de 7,2% nas vendas, a Ara, que abriu 169 novos espaços, teve uma subida de 72,0% e a Hebe aumentou 35,6%.

"O foco nas vendas através do investimento no reforço do posicionamento de preço e da experiência de consumo impulsionou um forte ano de crescimento do volume de negócios e de aumento das quotas de mercado, com todas as insígnias a entrarem bem preparadas em 2018", salienta o grupo no relatório "Vendas Preliminares 2017".

No mesmo documento, a Jerónimo Martins refere ainda que na Polónia verificou-se um ambiente de consumo favorável, tendo impactado positivamente o setor alimentar. Até novembro, a inflação alimentar no país foi de 4,1%. Já em Portugal, a inflação alimentar atingiu os 1,5% e na Colômbia os 2,6%.

O grupo conclui dizendo que "todas as Companhias cumpriram os seus objetivos de vendas, entregando um crescimento muito positivo, impulsionado pelo investimento em ganhos de quota de mercado. Este desempenho torna-se ainda mais importante num contexto de aumento dos custos de pessoal na Polónia e em Portugal e de forte alocação de recursos à qualidade da operação".

Fonte: Jerónimo Martins

Estante

Desigualdade no mundo

 

 

Comportamento inadequado

 

 

Megatech

 

 

A Arte de Liderar

 

 

A Segunda Curva

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária