terça-feira, 08 outubro 2019 12:11

FEDECOM elege Mercadona como "Empresa do Ano"

A Mercadona recebeu o Prémio de Empresa do Ano, atribuído pela Federação de Câmaras Oficiais de Comércio de Espanha na Europa, África, Ásia e Oceânia (FEDECOM), que, anualmente, elege uma empresa espanhola, tendo em conta o seu impacto na atividade comercial e económica num dos países-membros.

 

Os dados revelados pela FEDECOM mostram que a Mercadona fechou 2018 com 1.636 lojas, 85.800 colaboradores, uma faturação de 24.305 milhões de euros e um investimento de 1.504 milhões de euros. A par destes números, destaca-se ainda o impacto que a empresa representa na economia espanhola, que é equivalente a 1,9% do PIB, sendo também responsável por 630 mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Por sua vez, esta distinção surge no ano em que a Mercadona expandiu a sua atividade em Portugal, com a abertura das primeiras lojas da cadeia, marcando o início do seu primeiro projeto de internacionalização.

Atualmente, a empresa conta com cinco supermercados no País, um número que deverá duplicar, até ao final de 2019. Entre as lojas, os escritórios, no Porto e Lisboa, o Bloco Logístico, na Póvoa de Varzim, e o Centro de Coinovação, em Matosinhos, o investimento global aproximado da Mercadona ascende a 260 milhões de euros, desde que anunciou a entrada em Portugal, em 2016.

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias afirma: “Os investimentos são reflexo da confiança depositada na nossa economia. Contribuem para a criação de emprego e ainda promovem a coesão territorial. Espanha e Portugal são importantes parceiros e honra-nos que sejamos o país escolhido pela Mercadona no seu primeiro processo de internacionalização”. Na sua perspetiva, esta internacionalização também pode potenciar a introdução de novos produtos portugueses e espanhóis nos dois mercados, “permitindo maior transação de bens, promovendo a competitividade e fomentando o comércio entre os dois países”.

Já o presidente da FEDECOM, Eduardo Barrachina, destaca que “num mundo marcado por incertezas políticas, económicas e sociais, a expansão internacional da Mercadona converte-se numa referência clara que reflete a capacidade de adaptação das nossas empresas”.

Fonte: Llorente y Cuenca

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária