segunda-feira, 15 fevereiro 2021 16:24

Desperdício: Aldi tem sustentabilidade no ADN

A responsabilidade do ALDI “não começa nem termina nas nossas lojas”, diz a Corporate Responsibility Director, Elke Muranyi, garantindo que a proximidade e a transparência são fatores importantes para a cadeia se aproximar dos consumidores e com eles estabelecer uma relação “vencedora e duradoura”. A sustentabilidade – assegura – faz parte do ADN do retalhista, sendo, por isso, “transversal a toda a cadeia de valor, com vantagens para o ambiente, para o negócio e para os consumidores”.

O objetivo, esclarece, é sempre ir mais além dos requisitos legais e “satisfazer as necessidades e desejos” de fornecedores e clientes, assumindo responsabilidade pela proteção do ambiente e dos seus recursos naturais. Enquanto retalhista, o combate ao desperdício alimentar é, pois, uma das maiores preocupações. Nesse sentido, tem implementado um conjunto de medidas para contribuir para o objetivo 12 da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, que visa, até 2030, reduzir para metade o desperdício de alimentos per capita a nível mundial. E, segundo Elke Muranyi, “Food Waste” é um dos principais temas que o grupo ALDI Nord pretende trabalhar, mais intensamente, nos próximos anos.

“O nosso objetivo é o fornecimento ideal de cada produto nas prateleiras, minimizando as perdas de alimentos. Além da responsabilidade ética, temos um interesse económico em evitar o desperdício alimentar”, nota, comentando que ao longo dos anos, a cadeia tem implementado “inúmeras medidas” para minimizar o desperdício alimentar em todas as áreas.

“As encomendas diárias garantem que os nossos produtos estão sempre frescos e disponíveis em quantidades suficientes, mas também que menos alimentos serão deitados fora”, conta. Explica que os responsáveis de loja usam um sistema inteligente de proposta de encomendas, que regista automaticamente as mercadorias exatas necessárias e as quantidades em conformidade. Vários departamentos, como a logística e as compras, fornecem informações adicionais às lojas para garantir que o sistema faz sugestões fiáveis. Entretanto, se se perceber que, “apesar do planeamento cuidadoso”, os produtos não estão a ser vendidos, o ALDI baixa o preço de alguns artigos. “Nas nossas Caixas de Sustentabilidade, os clientes podem encontrar artigos que estão prestes a passar o prazo de validade, a preços reduzidos”, observa. “Fazemos um acompanhamento atento dos efeitos da otimização das embalagens e adotamos medidas corretivas ao longo de toda a cadeia de abastecimento, caso essas mudanças levem à perda de alimentos. Na nossa logística, por exemplo, procuramos utilizar caixas de transporte reutilizáveis para frutas e legumes”. O retalhista consegue, deste modo, minimizar as quebras e a danificação dos bens durante o transporte e contribuir para a redução do desperdício alimentar.

Como também em casa se verifica “uma grande parte” do desperdício de alimentos, o ALDI publica regularmente receitas que mostram como transformar os ingredientes que sobram em mais uma refeição.

“Quanto a eventuais excedentes, estes são doados sempre que possível”, afirma. “Com mais de 80 lojas, e com várias aberturas previstas para os próximos meses, o nosso principal objetivo passa por manter os níveis de desperdício tão baixos quanto possível”. Por isso, e à medida que inaugura um novo espaço, procura estabelecer, desde logo, parcerias com instituições de solidariedade social, através das quais as doações de excedentes alimentares chegam às populações locais. “Os alimentos que já não podem ser comercializados, mas que ainda estão aptos para consumo são doados a estas instituições de solidariedade, que depois se encarregam da sua distribuição. Hoje em dia, todas as lojas ALDI em Portugal contam com um ou até dois parceiros no âmbito das doações alimentares”, adianta. Atualmente, são mais de 30 entidades as parceiras a nível local e regional, entre as quais a Re-Food, o Banco Alimentar do Algarve e a AMI.

“É importante ter presente que as empresas têm uma responsabilidade perante a sociedade. E nós, no ALDI, temos a oportunidade de utilizar a nossa posição enquanto uma das principais empresas de distribuição na Europa para fazer mudanças corajosas com um impacto duradouro”, remata.

 

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária