sexta-feira, 30 abril 2021 15:56

Vendas da Jerónimo Martins crescem 1,5% no primeiro trimestre

As vendas da Jerónimo Martins cresceram 1,5%, para 4,8 mil milhões de euros, no primeiro trimestre do ano. O grupo fez um investimento de 78 milhões de euros e registou 58 milhões de euros de lucro, +66,3% em relação ao período homólogo de 2020.

De acordo com a Jerónimo Martins, “o desempenho das vendas marca um início de ano sólido”, num período ainda condicionado pelas medidas restritivas nos países onde opera.

Em Portugal, o consumo permaneceu “pouco dinâmico” e a inflação alimentar “desacelerou” em relação aos meses anteriores. O Pingo Doce “continuou a ser impactado” pelo limite imposto ao número de pessoas admitidas dentro das lojas e, a 15 de janeiro, os restaurantes da cadeia voltaram a funcionar apenas em regime de take away e entrega. Neste contexto, as vendas da retalhista atingiram os 929 milhões de euros, menos 0,8% - excluindo combustível que cresceu 0,3% - do que no primeiro trimestre de 2020. Este ano, a insígnia espera abrir cerca de 10 lojas e remodelar 15.

Por sua vez, o Recheio, no primeiro trimestre, registou vendas de 173 milhões de euros, uma redução de 19% face a igual período de 2020. O encerramento dos restaurantes e cafés, em janeiro, “impactou fortemente” o desempenho do segmento HoReCa tendo, contudo, a insígnia “conseguido manter a tendência de crescimento” no retalho tradicional.

“Apesar da exigência das atuais circunstâncias, suportados na visão de longo prazo do grupo e na força do seu balanço, os nossos negócios tudo farão para continuar a crescer, mantendo intacto o foco prioritário na proteção das nossas pessoas e dos nossos clientes, na colaboração com os nossos fornecedores, e no apoio às comunidades que servem”, começa por afirmar o presidente e administrador delegado da Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos. “Paralelamente, os projetos de eficiência em curso permitirão continuar a reforçar os modelos de negócio e proteger a rentabilidade. Mesmo sabendo que, pela sazonalidade, o primeiro trimestre é o de menor materialidade, os resultados alcançados são encorajadores e reforçam a nossa confiança na capacidade de cada insígnia garantir a preferência dos consumidores e entregar crescimento rentável em 2021”, acrescenta.

Fonte: Jerónimo Martins

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária