segunda-feira, 20 dezembro 2021 14:27

El Corte Inglés: Projeto-piloto de entregas sustentáveis

O percurso é longo e ainda há muito caminho pela frente, mas o El Corte Inglês já está em plena atividade na estratégia da sustentabilidade das entregas, garante. “As entregas de mercadorias fazem parte do conjunto de atividade do El Corte Inglés, que geram resíduos. Como empresa consciente, trabalhamos em identificar os focos das nossas emissões, de forma a conseguirmos medir, mitigar e compensar”, avança fonte da empresa.

Atendendo a esta consciencialização e decisão de integrar o processo de sensibilização e mitigação de práticas mais sustentáveis, a insígnia envolveu-se num “projeto-piloto alinhado com a estratégia de sustentabilidade da empresa e de mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa”, que está a ser testado nas entregas nas imediações dos Grandes Armazéns El Corte Inglês da capital portuguesa. “E todos os dias trabalhamos para melhorar as rotas quer no abastecimento logístico, quer nas entregas aos clientes, para reduzirmos ao máximo a nossa pegada, sendo que, neste último ponto, procuramos, sempre que possível, utilizar veículos mais eficientes”, garante a mesma fonte.

As caixas de cartão utilizadas nas entregas têm, por sua vez, origem num projeto de economia circular praticado pela empresa. “O cartão é separado nas nossas lojas, entregue a uma fábrica que o transforma em caixas, que são posteriormente utilizadas nas entregas. Conseguimos uma redução de 30% na utilização de sacos plásticos nas entregas e estamos agora a trabalhar para reduzir ainda mais esse valor”, revela.

De acordo com fonte do retalhista, a “dimensão da empresa”, “aliada à necessidade de utilizar diferentes materiais para responder aos hábitos de consumo atuais” levou o El Corte Inglés “a adotar uma política baseada na não discriminação dos materiais” presentes no mercado.

“Embora tentemos, sempre que possível, escolher o melhor material para o embalamento de produto, tendo em conta os aspetos da sustentabilidade, da reciclagem e da quantidade mínima necessária para o cumprimento da sua função de embalagem, é dada prioridade à utilização de matérias-primas recicladas, garantindo que a economia circular será apoiada, fechando o ciclo de reciclagem e incentivando a reutilização de embalagens e produtos”, frisa a fonte do retalhista.

Outra das preocupações é ter “o mínimo de consumo de materiais de embalagem para o cumprimento da sua função de recipiente, assegurando aspetos de saúde, segurança e viabilidade económica”, assim como “ajudar os trabalhadores e clientes a alcançar metas de reutilização e reciclagem”.

Para responder a estes requisitos, foi criado um Comité de Embalagens Sustentáveis, com a participação de várias equipas, que promove medidas destinadas a reduzir as embalagens e a substituir materiais, em qualquer tipo de área.

“Estamos num processo de transição para uma economia mais circular. Este processo requer a adaptação de todas as nossas operações. Atualmente somos a única empresa de distribuição em Portugal com certificação Resíduo Zero, um sistema que garante que pelo menos 90% dos resíduos gerados são valorizados, incluindo todo o papel e plástico utilizados nos processos logísticos dos dois Grandes Armazéns de Lisboa e Gaia Porto e dos dois armazéns logísticos de Alcochete e Olival”, assegura o El Corte Inglês.

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária