segunda-feira, 03 janeiro 2022 14:21

Consumidores valorizam comércio de proximidade

Em 2021, verificou-se uma consolidação das tendências aceleradas pela pandemia de Covid-19, nomeadamente através do maior investimento dos retalhistas numa oferta omnicanal, com destaque para o comércio online, e a alteração dos hábitos de consumo, com uma maior valorização do comércio de conveniência e proximidade. Os dados são revelados pela Cushman & Wakefield.

Ao nível da oferta de conjuntos comerciais, a segunda metade do ano caracterizou-se pela conclusão de 48.700 m² de ABL, distribuídos pela remodelação e expansão do Glicínias Plaza (Aveiro) e abertura de três retail parks, entre os quais o Vila do Conde Retail Park (junto ao Vila do Conde Porto Fashion Outlet). Até 2024 prevê-se a conclusão de mais 34.200 m² de ABL, que incluem a expansão do Centro Colombo (Lisboa) e a abertura do Sudoeste Retail Park (Silves).

De acordo com a procura de retalho agregada pela consultora, em 2021 foram registadas 460 novas aberturas, valor em linha com 2020. Apesar de o comércio de rua continuar a dominar, com 63%, o aumento do interesse por lojas de grande dimensão contribuiu para que os formatos retail parks e unidades stand-alone tenham sido os únicos a aumentar o seu peso, em 50% de forma agregada. Da mesma forma, embora o setor da restauração tenha sido o mais ativo, com 48% dos novos arrendamentos, o destaque vai para o setor alimentar, que quase duplicou o número de novas aberturas.

Fonte: Cushman & Wakefield

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária