sexta-feira, 25 março 2022 16:12

Compras online crescem após a pandemia

Apesar do aumento das compras online, as lojas físicas continuam a ser preponderantes no momento de compra. A in-Store Media, empresa de marketing omincanal, estudou os hábitos de compra online dos portugueses e o impacto que a pandemia teve na utilização deste canal.

Antes da pandemia, as compras online eram sobretudo de viagens, 56%; informática e eletrónica, 55%; roupa e acessórios de moda, 52%. Apesar disso, após o confinamento, as categorias que tiveram mais crescimento online foram as compras para o lar, de 43% par 71%; e a alimentação, de 46% para 72%. O estudo revela que a pandemia veio, assim, acelerar a utilização do canal online e atualmente sete em cada dez portugueses já compra através deste meio várias vezes por mês.

Segundo a in-Store Media, esta mudança é especialmente relevante na geração baby-boomers, pessoas com mais de 55 anos, uma vez que, antes da pandemia apenas 29% comprava online várias vezes por mês e, agora, são quase 70%. Em geral, os homens consomem mais online do que as mulheres.

O estudo concluiu, por fim, que mesmo com o crescimento das compras online de alimentação e bebidas, os consumidores continuam a utilizar loja física para parte das duas compras e que apenas 15% dos inquiridos afirma fazer todas as suas compras online.

Este mix na utilização dos canais físicos e online depende mais dos produtos e menos do canal. Como principal motivo para comprar alimentação online, três em cada quatro e-shoppers destacam o facto de “este ser o canal mais cómodo e conveniente, com a vantagem de não terem de se deslocar e de poderem comprar à hora que quiserem”. Outros benefícios referidos por quase metade dos inquiridos, 46%, foram o ganho de tempo ou não frequentar lojas físicas por causa da pandemia.

Fonte: Generator 

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária