Imprimir esta página
segunda-feira, 09 maio 2022 14:58

Perfumes & Companhia: uma explosão online

O desempenho da Perfumes & Companhia em 2021 esteve “claramente acima de 2020”, mas ainda sem alcançar o valor de 2019 no total do ano. A explicação é dada pela diretora de Marketing, Isabel Costa Cabral, que realça o facto de no ano passado o comércio ter sido “ainda mais penalizado” do que no anterior, pois fechou, praticamente, mais um mês.

“Naturalmente sendo uma empresa de retalho, com um grande peso de lojas físicas, fomos afetados. Desde a reabertura, em abril, que estamos em linha com os nossos objetivos, inclusivamente nos últimos meses a aproximar-nos dos resultados de 2019”, adianta.

Apesar do peso das lojas fechadas, mas com elas fechadas, o comércio eletrónico conheceu um impulso sem precedentes: diz Isabel Costa Cabral que, “de repente, era tudo apenas online”: “Houve um crescimento espetacular, multiplicamos várias vezes a nossa faturação em digital, foi uma explosão.

O que obrigou a uma revisão da estratégia e do investimento, de modo a potenciar a loja online: “Nos meses de lojas fechadas, claramente foi um esforço de aquisição e, numa segunda fase, de retenção desses clientes. Muitos compravam pela primeira vez na loja online”.

Mas não foi apenas o canal que mudou. Também ao nível do perfil dos produtos vendidos se verificaram “verdadeiros fenómenos”. A porta-voz da insígnia dá conta de uma “explosão do skincare e da quebra em maquilhagem”: “Por um lado, os consumidores não abdicaram da sua rotina de cuidados de pele, sentiam necessidade de continuar a cuidar de si. Por outro, vimos uma queda muito acentuada da maquilhagem. Foi, sem dúvida, a categoria mais afetada – o uso da máscara que cobre o rosto e a falta de eventos sociais e mesmo de uma vida mais fora de casa afetaram muito a venda de produtos de maquilhagem”.

Dado o contexto, para já não está prevista a expansão do número de lojas. A Perfumes & Companhia possui, de acordo com a diretora de Marketing, “uma rede com considerável capilaridade nacional, ilhas incluídas”, pelo que está “mais centrada na melhoria de performance nas lojas atuais do que em expansão”. “Mas, estamos sempre atentos”, comenta.

Essa capilaridade concretiza-se tanto em lojas em centros comerciais como de rua. Ainda que tenham perfis distintos:  nome, área, estilo de mobiliário, perfil das equipas, oferta.  “São ambas importantes: as de centro comercial faturam mais, estão abertas mais horas, mas as de rua são fundamentais para o traço de proximidade que tanto caracteriza a Perfumes & Companhia”, sustenta.

Ainda que seja uma empresa de origem familiar e 100% nacional, a Perfumes & Companhia convive há mais de 20 anos com concorrentes internacionais: “E sempre encontramos, aliás defendemos, o nosso espaço. São conceitos e ofertas diferentes e, diria, sem perder o espírito competitivo, que convivemos bem”.

“A Perfumes & Companhia goza de uma elevada notoriedade e é uma marca muito próxima dos portugueses, como indicam os testes de consumidores ou prémios que temos recebido consecutivamente nos últimos anos”, conclui a diretora de Marketing.

 

Fonte: Store Magazine