quinta-feira, 12 maio 2022 13:08

Wells: beleza seletiva, um conceito em expansão

As vendas das várias categorias de beleza, da cosmética à maquilhagem, representam cerca de 30% do negócio da Wells. Nas palavras do diretor-geral, João Cília, este é um segmento em crescimento e a insígnia “é já um dos líderes em Portugal”.

A importância deste segmento é visível num novo conceito de loja, focado em beleza seletiva. Já presentes em Lisboa, Braga e Aveiro, estas lojas “têm demonstrado uma performance acima das nossas expectativas”, o que – de acordo com o gestor – “dá confiança para uma expansão acelerada deste conceito”. O ano deve fechar com nove espaços com este formato, incluindo uma flagship store em Telheiras, com 900m2 de área, com perfumaria, parafarmácia, cabeleireiro, ótica, centro de estética e nutrição. O objetivo é chegar às 40 lojas com este novo conceito nos próximos anos. João Cília não esconde a ambição: a liderança no retalho da beleza “tal como já é hoje no de saúde e bem-estar”. 

No entretanto, a Wells enfrentou os desafios colocados pela pandemia, com algumas áreas de negócio fechadas, nomeadamente a ótica e os serviços de estética, com impacto particularmente negativo em março e abril de 2020. Contudo, João Cília realça que “a segurança que os clientes sentiram permitiu uma rápida recuperação: “Logo desde abril de 2020, a Wells tornou-se a principal escolha dos portugueses para equipamentos de proteção individual, como máscaras e testes rápidos. A partir de meio do ano, o consumo da maioria das categorias recuperou quase totalmente. No geral, a parafarmácia tem registado uma evolução muito positiva com um crescimento contínuo. No último ano, apesar das restrições de horários e de lotação das lojas impostas pelo COVID-19, cresceu, reforçando a sua quota de mercado em todas as categorias.”

Em maio desse ano, a Wells lançou uma loja digital vocacionada para as categorias de saúde, bebé, beleza e ótica, a qual “veio ajudar muito o crescimento das vendas online”. “Em 2020, mais do que duplicámos as vendas e este ano seguimos a mesma tendência. O balanço que fazemos é muito positivo, em poucos meses somos já a loja online preferida dos portugueses e estimamos ultrapassar os dez milhões de visitantes até ao final do ano”, sustenta o diretor-geral.

No que toca ao perfil de produtos vendidos, dá conta de que houve um “claro crescimento” na venda de produtos de proteção Covid, como máscaras, álcool gel e testes. As restantes áreas sofreram inicialmente, mas a insígnia já sente uma recuperação para níveis pré-Covid, sendo que apenas os produtos de higiene e alimentação infantil continuam sem atingir esses níveis, “sendo impactados pela forte redução no número de nascimentos em Portugal”.

Quanto à previsão de desempenho até final do ano, João Cília recorda que, o ano passado, a época festiva foi mais incerta, havendo a perceção de que, este ano, os clientes têm uma expectativa de um Natal mais próximo da família e amigos: “Esperamos por isso um crescimento relevante neste final de ano”.

A propósito de objetivos, o diretor-geral da Wells afiança que a insígnia segue com o seu plano estratégico de expansão, estando previsto passar das atuais 289 lojas para as 300 em 2022.

 

Fonte: Store Magazine

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária