quinta-feira, 22 setembro 2022 15:49

Aldi quer ter 200 lojas em 2025

Apesar da crise sanitária, a ALDI Portugal inaugurou mais de 20 novas lojas em 2021, este ano prevê 25 novas aberturas e o horizonte está em 2025 com a meta estipulada nos 200 espaços. A estratégia da insígnia passa por chegar a novas localidades, reforçar a presença em cidades onde já atua e abranger todo o país, com particular destaque para a zona interior.

“Foi um número recorde em termos de aberturas para nós. No entanto, e além desta conquista interna, fomos também o retalhista que mais espaços abriu em território nacional. Esta aposta é o reflexo do nosso objetivo: queremos chegar a novas localidades e reforçar a nossa presença em cidades onde já estamos representados. Enquanto retalhista, queremos servir os portugueses, dar-lhes a conhecer o nosso conceito e os nossos produtos”, começa por explicar o managing director de Expansão e Obras.

João Braz Teixeira ressalva que o retalho alimentar, por natureza, já é competitivo e que, em Portugal, o nível concorrencial é particularmente evidente, o que, de certa forma, contribui para uma maior motivação na procura de novas tendências e modos de surpreender os consumidores.

“Na ALDI, sabemos que nos destacamos, não só em termos de conceito, mas ao nível de produtos. Os nossos clientes procuram-nos pela qualidade dos nossos artigos, mas também pela experiência de descoberta, seja de produtos alimentares ou de não-alimentares que trazemos semanalmente, e isso diz-nos que ainda temos espaço para crescer”, argumenta, fazendo referência às 106 lojas já existentes em Portugal, mas com margem para continuar a investir, abrir novos espaços e criar novas oportunidades de trabalho.

“Até 2025 queremos ter 200 lojas de norte a sul do país e isso vai traduzir-se em várias aberturas, na remodelação de lojas mais antigas e ainda na inauguração de novos centros de distribuição”, anuncia o responsável, assegurando que a insígnia está focada nesse objetivo. “Para isso acontecer, vamos manter o ritmo de aberturas que tivemos em 2021. Este ano, vamos contar com cerca de 25 aberturas e, além de irmos reforçar a nossa presença em novas localidades, vamos dar continuidade à aposta em formatos diferentes, como é o caso das lojas urbanas”, especifica.

A escola dos locais para as lojas, de acordo com o managing director de Expansão e Obras, obedece a vários critérios, entre os quais a proximidade à população e bons acessos. “Uma das nossas prioridades é chegar às zonas onde ainda não marcamos presença, como é o caso do interior do país. Uma vez que já temos uma presença forte em toda a costa, agora vamos começar a expandir-nos para o interior, trazendo para estas regiões as nossas lojas, marcas exclusivas e oportunidades de trabalho para as populações locais. Por outro lado, e de forma a darmos continuidade ao que iniciámos em 2021, queremos reforçar a nossa oferta nos centros urbanos, através dos formatos de proximidade”, adianta.

A par das novas lojas, a empresa pretende inaugurar dois centros de distribuição, um na Moita e outro no norte do país, por forma a dar continuidade à sua estratégia de expansão: “O nosso objetivo é simples, queremos continuar a crescer, reforçar o nosso parque de lojas e chegar a novas localidade e clientes, uma vez que são estes que ditam qual a direção que devemos seguir.” “Com o aumento do número de lojas, também aumenta a necessidade de abastecimento destas. Temos a preocupação em ter um crescimento de forma sustentada e estratégica, e é por esse motivo que já neste trimestre vamos inaugurar o nosso novo entreposto logístico na Moita, que, além de ser o maior da ALDI em Portugal, é também um dos maiores na zona da Grande Lisboa”, frisa.

 

Fonte: Store Magazine

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária