quinta-feira, 27 outubro 2022 14:53

Meu Super: Adicionar mais conveniência

Os efeitos práticos da pandemia provocada pela Covid-19 são ainda embrionários, estão a ser avaliados e projetados, mas, em alguns casos, nomeadamente no setor do retalho, já é possível retirar algumas conclusões. Assim o afirma o diretor-geral do Meu Super, a propósito da política de expansão da rede de lojas desta insígnia da MC cujas vendas superaram os 175 milhões de euros o ano passado.

“A preferência pelas lojas de conveniência e proximidade ganhou relevância com a pandemia. Em 2021, o Meu Super foi a insígnia com maior número de aberturas de lojas em Portugal. E quer continuar a liderar esta dinâmica este ano”, avança Tomás Lince Fernandes.

“Aumentar o número de consumidores com acesso conveniente aos produtos Continente e facultar a possibilidade de utilizar o maior cartão de descontos do País” são “alguns dos papeis das lojas Meu Super, que justificam o investimento da Sonae na marca”.

O porta-voz sustenta que a proposta de valor da insígnia está adaptada às necessidades dos consumidores atuais, pelo que olha com otimismo para o futuro e as perspetivas de crescimento. Tendo em conta o contexto atual e o desempenho dos últimos 11 anos, o plano de expansão “é ambicioso”, tendo como objetivo principal chegar a todo o país.

Depois da abertura, em 2021, de 37 lojas em Portugal, incluindo Madeira e Açores, e de uma na cidade cabo-verdiana de Mindelo, trata-se agora de “manter o foco na expansão da rede de supermercados e reforçar a presença da marca nas várias regiões do País, numa lógica de parceria entre empreendedores locais e o maior retalhista a operar em Portugal”.

A política de expansão obedece, segundo o diretor-geral, a um plano “elaborado com detalhe”, por “uma equipa dedicada”, sendo que a insígnia “continua recetiva à entrada de parceiros”. “O dinamismo e o espírito empreendedor são características reconhecidas como importantes para abrir um supermercado Meu Super”, comenta. “Desenvolver um projeto exigente e sustentável comporta algum risco. Fazê-lo em parceria com o maior retalhista alimentar a atuar em Portugal tem permitido atrair empresários mais jovens, que criam as suas empresas, geram novos postos de trabalho e dinamizam as zonas em que as lojas são abertas. Muitas vezes nos centros das localidades, que têm perdido dinamismo comercial”, acrescenta Lince Fernandes.

Apesar de destacar que “o crescimento da rede de lojas tem sido ambicioso”, desde 2011, e que está “otimista quanto à capacidade de aumentar o número de supermercados Meu Super em Portugal”, no ano em que celebra o 11.º aniversário, reconhece que “concretizar essa expansão depende de parceiros de negócio – os supermercados operam num modelo de franquia –, com os quais existe um investimento conjunto na abertura de novas unidades”.

A estratégia passa, igualmente, por adicionar mais conveniência e investir na entrega em casa, que ganhou importância com a pandemia. Atualmente, existem 85 lojas da rede com este serviço, recentemente alargado com parcerias com empresas de home delivery.

 

Fonte: Store Magazine edição abril-junho 2022

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária