quinta-feira, 19 janeiro 2023 11:16

Preços no produtor e no consumidor aumentam significativamente em 2022

Em 2022, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma taxa de variação média anual de 7,8% (1,3% em 2021). Os dados são do Instituto Nacional de Estatística (INE) e revelam que este é o valor mais elevado desde 1992.

 A variação do indicador de inflação subjacente, medido pelo índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, foi 5,6% em 2022, o que representa uma subida considerável face aos 0,8% verificados em 2021.

Segundo o INE, o aumento da taxa de variação do IPC entre 2021 e 2022 foi influenciado pelo comportamento da inflação subjacente e pela aceleração dos preços dos produtos alimentares não transformados e dos produtos energéticos, que registaram variações médias anuais de, respetivamente, 12,2% e 23,7% (0,6% e 7,3% em 2021).

O aumento dos preços foi ainda mais acentuado na produção industrial, tendo o respetivo índice apresentado uma variação média anual de 21,2% em 2022, o mais elevado da série (6,5% em 2021). Excluindo a componente energética, registou-se uma variação média anual de 14,5%, superior em 9,1% à observada em 2021. A subida dos preços na produção de bens de consumo também foi bastante significativa (12,5%), ficando, contudo, mais próxima da verificada ao nível dos preços no consumidor.

O montante global de levantamentos nacionais, de pagamentos de serviços e de compras em terminais TPA apresentou um crescimento homólogo de 12,8% em dezembro (10,1% no mês anterior). Considerando o conjunto do ano 2022, verificou-se uma variação de 18,8% no valor global das operações realizadas (10,9% em 2021).

 

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

 

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária