quinta-feira, 08 fevereiro 2024 12:07

Jerónimo Martins e Sonae distinguidas pelo combate às alterações climáticas

O Grupo Jerónimo Martins e a Sonae foram distinguidas pela sua liderança no combate às alterações climáticas pelo Carbon Disclosure Project (CDP).

O Grupo Jerónimo Martins obteve a classificação máxima (A) no combate às alterações climáticas (Climate Change) e o nível de liderança (A-) tanto na gestão da água enquanto recurso crítico (Water Security) como na gestão das commodities mais associadas ao risco de desflorestação (Forests): óleo de palma, madeira, gado bovino e soja.

O CDP atribuiu também ao Grupo Jerónimo Martins o nível máximo (A) pela forma como integra a sustentabilidade na sua estratégia de negócios, e pela identificação e divulgação das suas práticas de gestão do risco associadas a estes temas.

Já a Sonae MC e a Sonae SGPS registaram a classificação máxima (A) no combate às alterações climáticas (Climate Change) e o nível B na gestão das commodities mais associadas ao risco de desflorestação (Forests): óleo de palma, madeira, gado bovino e soja.

“Sermos líderes mundiais no nosso sector, pelo quarto ano consecutivo, demonstra a solidez e consistência com que temos vindo a incorporar as preocupações com a sustentabilidade na forma como conduzimos os nossos negócios e é o reconhecimento do rigor e transparência que colocamos na nossa comunicação sobre estas matérias”, diz o presidente e administrador-Delegado do Grupo Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos.

“O envolvimento das nossas equipas no desenho e implementação do Roadmap de Descarbonização das Operações da MC permitiu alcançar, no último ano, uma redução de 34% das emissões face a 2018. Um resultado que desafiámos com o estabelecimento de novas metas alinhadas com a ciência climática e validadas pela Science Based Targets Initiative (SBTi). Dessa forma, em 2023, revimos a nossa ambição e comprometemo-nos com uma redução de 51% das emissões das nossas operações até 2032, face a 2022, e uma redução de 31% das emissões da nossa cadeia de abastecimento”, afirma, por sua vez, administradora executiva da MC, Isabel Barros.

O CDP é uma organização sem fins lucrativos que incentiva empresas e cidades a medir e gerir oportunidades e riscos em matérias de ambiente e de alterações climáticas. Anualmente, recolhe informação através dos seus programas “Combate às alterações climáticas”, “Florestas” e “Gestão da água enquanto recurso crítico”. Em 2023, a avaliação do CDP abrangeu mais de 23.000 empresas de todo o mundo, que representam dois terços da capitalização bolsista global.

“Ganhar um lugar na Lista A é mais do que apenas pontuação. É uma indicação de dados completos e de alta qualidade que dotam as empresas de uma visão holística do seu impacto ambiental, servem como base para planos de transição e – o que é crucial – permite-lhes concretizar as suas ambições.”, remata o CEO do CDP, Sherry Madera.

Fonte: LPM e Jerónimo Martins

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária