segunda-feira, 22 setembro 2014 17:26

Como a Makro está a crescer em Portugal

 Como a Makro está a crescer em PortugalDesde a implementação do novo modelo de negócio, no ano passado, a Makro recuperou mais de 40 mil clientes e aumentou a quota de mercado. Quem o afirma, em entrevista à Store, é a corporate communication, PR & CSR da Makro Portugal, Isabel Caeiro. "Mantemos a decisão de crescer homologamente de mês para mês", diz.

Store | Qual o volume de vendas previsto para 2014?
Isabel Caeiro | Estamos quase a finalizar o ano fiscal agora em setembro. O nosso ano fiscal mudou o ano passado, passando de outubro a setembro, e os resultados serão conhecidos muito em breve aquando dos resultados do Grupo Metro.

Store | Quais os ganhos das sinergias criadas com a implementação do novo modelo de negócio no ano passado?
IC | O ano passado, a Makro implementou um Novo Modelo de Negócio nas suas lojas, como forma de responder da melhor forma possível às necessidades dos seus clientes, adaptando-as e restruturando-as por forma a melhor servirem este fim.
Nesse sentido, a nova estratégia da MAKRO Portugal tornou-se viável através dos ganhos das sinergias criadas entre Portugal e Espanha, resultando numa posição mais competitiva para o setor Cash & Carry do grupo METRO, que conta com 47 lojas na Península Ibérica no total.
Como consequência da implementação do novo modelo de negócio, as lojas foram alvo de uma forte reestruturação derivante da nova estratégia a nível nacional em que o foco é o Cliente. Estas ganharam um espaço mais atrativo, resultado de uma renovação feita no layout. A disposição e organização dos produtos sofreram também alterações e 4.000 produtos foram alvo de baixas de preço, com o objetivo de fazer com que os clientes poupassem ainda mais tempo, dinheiro e trabalho.
Quisemos reforçar a nossa posição como os melhores parceiros na hora de impulsionar os seus negócios e os resultados apresentados têm superado as nossas expectativas.
Desde a implementação desta nova estratégia, recuperámos 41.400 clientes e aumentámos a quota de mercado. Mantemos a decisão de crescer homologamente de mês para mês e, para tal, apostamos numa melhoria contínua das nossas instalações, na formação específica aos colaboradores para que possam desenvolver competências essenciais para uma nova abordagem, centradas na liderança individual e das equipas e no serviço ao cliente.
Estamos, desta forma, a contribuir para a rentabilidade e eficiência dos profissionais que todos os dias visitam as lojas MAKRO, oferecendo-lhes preços mais competitivos, bem como uma maior eficiência na compra, dando-lhes ferramentas para que possam ser mais competitivos nos seus negócios.

Store | Qual a distribuição de vendas por canais e a variação correspondente face a 2013?
IC | O nosso ano fiscal mudou o ano passado, passando a comparação de outubro a setembro e aí serão conhecidos os resultados sendo que o canal HoReCa e comércio independente os canais com maior expressão na Makro.

Store | O peso das marcas próprias nas vendas tem vindo a aumentar? Qual pensa que é o limite?
IC | Investimos não só nas categorias de marcas alimentares, como também nas categorias não alimentares. Apostámos na integração de uma gama completa e variada, desde equipamentos para a cozinha profissional, produtos de limpeza, higiene e todo o tipo de eletrodomésticos para as diferentes intensidades de uso. A gama de materiais de escritório, informática e consumíveis, adequadas às necessidades de empresas e profissionais independentes, complementa as necessidades dos clientes que procuram estes materiais.
Apresentamos seis marcas próprias que apresentam produtos de qualidade, indo ao encontro das necessidades dos nossos clientes, são elas: Aro (artigos alimentares e não alimentares), Fine Food (artigos alimentares e de higiene pessoal), Horeca Select (artigos do setor alimentar e não alimentar, criados a pensar nas necessidades dos Chefes de cozinha profissionais), H-Line (artigos não alimentares utilizados nos quartos de hotel, casas-de-banho, restaurantes, bares e por serviços de catering), Rioba (artigos alimentares e não alimentares para o mundo do café e cocktails) e Sigma (artigos essenciais para o backoffice). Cada uma delas existe para servir um propósito diferente e ir de encontro das mais variadas necessidades que os nossos clientes sentem, tendo em conta o seu tipo de negócio, oferecendo vantagens competitivas em relação aos nossos concorrentes.
Por outro lado, na Makro apostamos em produtos exclusivos que destacam também a qualidade e a excelência do que é nacional, como é o caso dos nossos vinhos de marca própria. A empresa oferece uma variedade de vinhos que cada vez mais alcançam prestígio e reconhecimento além-fronteiras, como é o caso dos vinhos Insólito e Monte Baixo, do Vinho do Porto D. Pablo, do Moscatel do Douro e do Paço do Duque, Espumante da Bairrada.
Os vinhos Insólito e Monte Baixo já alcançaram inclusivamente prémios a nível internacional. O concurso "Challenge International du Vin" distinguiu este ano o Vinho Português Insólito Alentejano Branco 2013, com medalha de ouro e o Insólito Alentejano Tinto 2012, com prata, ambos provenientes da Casa Agrícola Alexandre Relvas. Já o vinho Monte Baixo alcançou a medalha de prata no "Wine Masters Challenge" com os Vinhos Monte Baixo Alentejano 2013 e Alentejano Reserva 2012.

Store| O mercado nacional é estratégico para o grupo Metro? Quais as necessidades específicas do mercado português?
IC | Portugal em conjunto com Espanha representam já uma fatia considerável da faturação total do grupo. Desta forma, Portugal é de facto um mercado efetivamente estratégico para o Grupo Metro, sendo alvo de melhorias e investimentos constantes, como foi exemplo o caso da implementação do novo modelo de negócio o ano passado e do renovado posicionamento da marca. Tratam-se de indicadores efetivos da importância do mercado nacional para o grupo.

sd@briefing.pt

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária