quinta-feira, 20 junho 2013 17:05

Ferbar: mercados internacionais são estratégicos

Ferbar: mercados internacionais são estratégicos"O crescimento em mercados internacionais é estrategicamente fundamental para nós e essa é a principal razão do nosso relativo sucesso", afirma à Store Magazine o trade marketing manager da Ferbar, empresa portuguesa da indústria alimentar que exporta 20 por cento da sua produção.

 

Store | Em 40 anos, a Ferbar passou de distribuidora a produtora e exportadora. Como aconteceu essa evolução?
Pedro Blás Gomes | Essa evolução enraíza no nosso enfoque nas marcas. Sempre nos considerámos marketers, mais que apenas distribuidores, pois temos brand building como prioridade. A marca Ferbar existe desde a origem da empresa e sempre visámos o seu crescimento com base num posicionamento definido e na criação de um portefólio de produtos consistente com esse posicionamento, o que implicou projetos de desenvolvimento específicos para a nossa marca em parceria com diferentes parceiros produtores. Estrategicamente, ao longo do tempo, investimos em integração a montante e atualmente temos empresas produtoras afiliadas da Ferbar.
O crescimento em mercados internacionais é estrategicamente fundamental para nós e essa é a principal razão do nosso relativo sucesso. Esta atividade é viabilizada exatamente por determos a nossa marca, com uma proposição de valor apreciado em vários mercados.

Store | Massas Del Monte, Saint Dalfour, Casa Fiesta são alguns dos novos produtos e marcas que a Ferbar lançou recentemente. Que estratégia preside a estes lançamentos?
PBG | A base da estratégia competitiva da Ferbar resume-se a criar o maior valor para os consumidores e os clientes.
No caso da marca Casa Fiesta, estamos seguros de que oferece a melhor qualidade de cozinha Tex-Mex no mercado e vemos a trend de crescimento do segmento de cozinha étnica como uma clara oportunidade para trazermos inovação para o mercado.
A marca StDalfourr é uma referência única na categoria de doces de fruta e já era importante no mercado português, apenas a parceria com a nossa empresa é recente. O objetivo é reestabelecer a marca como líder de mercado em valor até final de 2014.
Quanto à linha de massas Del Monte, temos uma parceria de longos anos com a empresa que é líder no mercado mundial de conservas de fruta e fomos seduzidos pelo projeto de extensão da marca à categoria de massas alimentícias. Acreditamos que a relação satisfação/preço oferecida ao consumidor será a melhor do mercado.

Store | Qual a relação de forças entre a produção de marcas próprias e a distribuição de insígnias de terceiros?
PBG | As nossa marcas representaram 61,3% do volume de vendas da empresa em 2012.

Store | Como se passa de uma pequena empresa sediada na Maia para uma empresa exportadora?
PBG | O crescimento foi principalmente resultado de uma base estratégica clara, que contemplou investimento contínuo, e de arrojo na definição de objetivos.

Store | Para que mercados exporta e que peso tem a exportação no negócio da empresa?
PBG | As vendas internacionais pesaram 20,4% no negócio da empresa e são realizadas principalmente para os PALOP e para o mercado da saudade.

Store | Como se posiciona a Ferbar na distribuição? Que relação mantém com os principais players deste sector?
PBG | A componente relacional da gestão é importantíssima na nossa gestão de B2B. Por comparação, a componente transacional é quase insignificante. O Retalho é um setor bastante concentrado e a retenção de clientes é naturalmente mais importante que a aquisição, o que justifica per se a importância referida. No contexto de globalização que vivemos, verificamos a complexificação e extensão contínuas das networks na indústria, o que implica maior exigência. Apesar de os clientes tenderem teoricamente a manifestar fidelidade aos parceiros fornecedores no modelo de straight rebuy verificado no mercado de FMCG, a realidade não o demonstra inequivocamente. É vital assegurarmos a satisfação contínua dos nossos clientes, criando valor para estes, numa dinâmica de benefício mútuo que permita assegurar relações de longo prazo. Temos um fito em comum – satisfazer o consumidor – o que tem efeitos virtuosos sobre essa dinâmica.

Fonte: Store Magazine

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária