segunda-feira, 18 março 2019 11:21

Fátima Vila Maior: A Alimentaria é um passaporte para a internacionalização

De 24 a 26 de março, a Alimentaria&Horexpo regressa à Feira Internacional de Lisboa. Nesta 15.ª edição, o foco continua a ser a exportação, com a diretora de Área de Feiras, Fátima Vila Maior, a enfatizar os resultados do último evento: cerca de 100 compradores internacionais presentes e mais de 600 reuniões com empresas nacionais. A inovação é também um denominador comum, este ano traduzida num novo posicionamento assente em três conceitos.

 

Store | A Alimentaria&Horexpo assume-se como a maior plataforma de negócios para os setores da Alimentação, Distribuição e Hotelaria em Portugal. Que factos sustentam este posicionamento?

Fátima Vila Maior | Acima de tudo, a dimensão e qualidade que apresentamos nesta 15.ª edição. A Alimentaria&Horexpo Lisboa reúne, de dois em dois anos, os profissionais destes setores e expõe as novidades nacionais e as tendências internacionais, proporcionando, assim, sinergias inéditas entre players de todo o mundo. A estes factos acrescentámos este ano três novos conceitos ao espaço Alimentaria: Alimentação Saudável, Alimentária LAB e Espaço Origens.
Com este posicionamento, a feira traz para debate e exposição as grandes tendências da atualidade e as novas abordagens aos desafios sentidos pelos profissionais dos setores que representa. Um trabalho já iniciado e que conta com a participação de entidades como a Secretaria de Estado da Defesa do Consumidor, GPP, DGAV, DRAPLVT, Agência Nacional de Inovação, ISA, Ordem dos Nutricionistas, Portugal Fresh, Auchan, Clube de Produtores Continente e Lidl. Além dos parceiros AHRESP, APED e FIPA.
Se a isto juntarmos os mais de 800 expositores já confirmados, em 22.000 metros quadrados, este é, sem dúvida, o espaço, a oportunidade para que os profissionais contem as suas histórias e mostrem os seus conceitos inovadores aos cerca de 25 mil visitantes que se esperam na feira. Acreditamos que este ano haverá um incremento de 20% no número de visitantes no canal HORECA e de 10% no número de visitantes à área da Distribuição.

Que mais-valias apresenta, em particular, para o retalho? Em que medida é que as empresas deste setor beneficiam da presença na feira?

De dois em dois anos, inovamos e apresentamos novidades na feira, seja com a criação de espaços únicos ou posicionamentos novos, seja através da abordagem e demonstração dos assuntos que os profissionais procuram e ou que os preocupam no seu negócio.
Exemplo disso são os temas que a Alimentaria&Horexpo Lisboa tem em destaque e que acompanham as exigências das empresas dos setores que representamos, e que surgem por consequência das novas necessidades do próprio consumidor. Entre esses temas destaque para a produção nacional de qualidade, a hotelaria e restauração do futuro, os estilos de vida saudável, a sustentabilidade alimentar e a inovação e educação alimentar.  

A exportação continua a ser o foco? Em que medida?

Sem dúvida. Deixe que destaque o já tradicional Programa Hosted Buyers Alimentaria & Horexpo Lisboa, que, ao longo das várias edições da feira, já demonstrou a sua mais-valia ao nível das exportações.
Trata-se de um programa que tem como objetivo assegurar a presença de profissionais de alto nível e com poder de decisão nos setores representados na feira que, usufruindo de condições especiais, assistem ao salão e realizam negócios com as empresas expositoras. E, deixe que lhe diga, são muitas as empresas que a partir do seu investimento na Alimentaria&Horexpo Lisboa realizaram negócio, abriram canais para exportar os seus produtos.
Este ano, estamos a trabalhar para ter nos três dias da feira distribuidores/importadores de países como a China, a Índia ou o México.

De que modo a Alimentaria tem contribuído para a internacionalização das empresas portuguesas, nomeadamente do setor agroalimentar?

A Alimentaria&Horexpo Lisboa é uma organização conjunta da Feira Internacional de Lisboa e da Alimentaria Exhibitions, que conta com o apoio das principais associações e entidades do setor, quer nacionais quer internacionais, o que permite à organização melhorar não só a oferta de produtos expostos, como também o programa de atividades paralelas, de formação e ações de promoção internacional.  Sem que possamos quantificar o volume de negócios efetuado ao longo dos três dias de certame, podemos destacar que na edição 14 (realizada em 2017) o Programa Hosted Buyers recebeu cerca de 100 compradores internacionais convidados pela feira e que realizaram mais de 600 reuniões com empresas presentes no certame.


Que resultados foram alcançados, a este nível, em 2017?

Em 2017, a feira recebeu mais de 600 empresas e entidades, das quais 30% eram oriundas de outros países, sobretudo europeus e do continente americano. Ao longo dos três dias passaram pelo certame cerca de 23 mil profissionais, que visitaram uma montra com mais de duas mil marcas que surpreendiam pela inovação e valorização da produção nacional. Foram dias repletos de atividades, em que a aposta no internacionalizar, no acelerar as exportações nacionais e no desafiar novos mercados saiu vencedora.
E, porque estamos a falar de balanço, não posso esquecer o sucesso que foi o projeto “O Mais Português Hotel do Mundo”, um conceito que nasceu do desafio lançado pela Alimentaria&Horexpo Lisboa a um grupo restrito de criativas (arquitetas e designers de interiores com projetos na área da hotelaria e requalificação de alojamento) para a criação de um espaço que sensibilizasse para a excelência dos produtos portugueses, a importância do processo criativo e a contratação de profissionais no tratamento dos interiores dos vários setores turísticos existentes e emergentes no mercado português e internacional (hotéis, hostels, aldeamentos, turismo de habitação, turismo rural, etc.). Tivemos também o concurso “Chefe Cozinheiro do Ano”, a apresentação de um relatório sobre a biodiversidade na indústria alimentar, o Fórum do Consumo, que debateu o marketing na era digital, bem como os seminários “Para onde caminha a distribuição moderna em Portugal?” e “Oportunidades de negócio e de investimento no setor do turismo em Cuba”.

Em que medida é que a feira é também um espaço de inovação?

A Alimentaria&Horexpo Lisboa é o palco de referência para a inovação.  A título de exemplo recordo o espaço Alimentaria LAB e o Live Innovation Hotel.
Se o primeiro corresponde a uma área onde o destaque vai para a inovação e investigação na indústria alimentar, na qual se dará a conhecer projetos, produtos, serviços e tecnologias, provenientes de universidades, startups e empreendedores, e novas tendências, através de exposição ou espaços de discussão e networking temáticos, o segundo destaca-se pelo processo criativo, pela inovação na decoração de interiores e pela inovação nos equipamentos, serviços e tecnologias.
Isto sem esquecer que inovação é também partilha de conhecimento que permite aos profissionais presentes adotarem novas abordagens no mercado, trazer para o seu setor a diferenciação que hoje é exigida, não só ao nível dos recursos humanos, mas também e sobretudo ao nível dos equipamentos.

O que se pode esperar da edição de 2019?

A Alimentaria&Horexpo Lisboa2019 vai apresentar aos profissionais um espaço que congrega a maior e mais completa oferta do setor, capaz de responder às suas necessidades. Vamos proporcionar às empresas participantes o acesso a um maior número de setores da procura e, definitivamente, a mais clientes, uma vez que o leque de potenciais compradores é alargado, abrangendo profissionais de todas as áreas.
Em resumo: ao longo de três dias de certame vamos colocar em destaque tudo o que as empresas presentes fazem, e, ao mesmo tempo, ter profissionais de alto nível e com poder de decisão nos sectores representados a realizem negócios com as empresas expositoras.

Há planos para tornar o evento anual?

A Alimentaria&Horexpo Lisboa é organizada conjuntamente pela Feira Internacional de Lisboa e Alimentaria Exhibitions, que é a entidade responsável pela organização do evento congénere em Espanha – Alimentaria Barcelona, que se realiza nos anos pares, organizando-se a Alimentaria&Horexpo Lisboa nos anos ímpares. Assim vem sendo há já 15 edições e quer o setor, quer o próprio mercado têm respondido de acordo com esta periodicidade. Esta alteração não faz, para já, parte das nossas preocupações ou intenções a curto prazo, mas estamos sempre em comunicação com os principais agentes económicos e em sintonia para responder aos desafios que venham a surgir no futuro.

 

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária