terça, 18 dezembro 2018 16:51

A estratégia e o negócio da FNAC em Portugal em foco na Store

O diretor-geral da FNAC Portugal, Nuno Luz, é o protagonista da capa da última edição de 2018 da Store. Em entrevista, enfatiza que a legislação laboral não está preparada para o retalho e traça a estratégia de crescimento e diversificação de formatos da insígnia.

 

Em destaque igualmente nesta edição o desafio que a redução dos resíduos e embalagens de plástico está a colocar ao setor. O debate foi lançado pela APED num fórum sobre o tema visando promover o diálogo entre os players e materializado numa campanha de sensibilização dos consumidores. A propósito, a Store foi saber o que andam as insígnias a fazer para corresponder ao compromisso da Comissão Europeia de eliminar o uso de embalagens de plástico descartáveis até 2030: respondem Auchan, Continente, Lidl e Pingo Doce.

E porque dezembro é sinónimo de Natal, o negócio dos brinquedos tem igualmente lugar nas páginas desta edição. O novo CEO da Toys ‘R’ US Espanha e Portugal, Paulo Sousa Marques, apresenta os planos para recuperar a estratégia da insígnia, pretexto para saber quanto vale este segmento para o retalho.

 E porque o retalho está num processo de adaptação à nova realidade do consumo, esta edição apresenta a aposta da IKEA, da FNAC e da Jerónimo Martins em novos formatos. Em comum, têm o facto de serem lojas mais pequenas, urbanas e convenientes.

Dessa nova realidade fazem parte consumidores cada vez mais exigentes no que respeita aos valores nutricionais dos produtos. Daí que a Auchan Retail traga para o mercado nacional o sistema de rotulagem Nutri-Score.

Outro dos desafios do retalho é o da integração entre o físico e o digital e este é precisamente um dos tópicos em destaque na entrevista ao diretor executivo da GS1 Portugal, João de Castro Guimarães.

Fonte: Store Magazine

 

Newsletter

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária