quinta-feira, 09 junho 2022 13:50

O retalho como empregador: a IKEA investe na estabilidade

“Na IKEA, trabalhamos todos os dias para criar um dia a dia melhor para os nossos colaboradores”. As palavras são do People and Culture Manager da IKEA Portugal, Cláudio Valente, revelando que esse objetivo também se aplica às políticas remunerativas, que pretendem assegurar a implementação de todas as regras legais que provenham da legislação laboral, assim como da concertação social.

Para fazer face aos desafios económicos e sociais que se vive, defende que é necessário fazer algo mais, por isso, no início deste ano, a insígnia atualizou o salário de entrada de 700 para 750 euros, para um colaborador a tempo inteiro na área do retalho; e para 850 euros, para um funcionário a tempo inteiro do Centro de Apoio ao Cliente.

“Trabalhamos também no reforço de standards contratuais, promovendo a estabilidade de emprego, horários e desenvolvimento interno, atingindo resultados como: 85% de colaboradores permanentes, horários comunicados com quatro semanas de antecedência, e 80% de vagas internas para lugares de liderança, preenchidos com promoção interna”, explica o responsável.

Devido à Covid-19, no início deste ano fiscal, o Grupo Ingka – de que a IKEA Portugal faz parte – decidiu oferecer um contributo de 110 milhões de euros a todos os funcionários, dos 32 mercados onde opera, como sinal de agradecimento pelo esforço e dedicação durante a pandemia. Este benefício foi distribuído com base na proporção de salários de cada mercado, sendo que, em Portugal, foram atribuídos cerca de 460 euros brutos a cada colaborador.

A empresa defende que “pessoas felizes contribuem para um ambiente de trabalho melhor e mais inspirador”. Neste sentido, sabe que os apoios dados à parentalidade são “muito relevantes” para os funcionários, e, no início de 2022, atualizou os benefícios. O programa “Passa mais tempo com o teu bebé” dá a possibilidade de estender a licença parental – biológica ou por adoção – por mais dois meses, além do período regular estabelecido pela Segurança Social, e aumentou o seu apoio mensal para 705 euros brutos – uma subida de 84% face ao ano anterior. O benefício “Ajuda de Nascimento” é dado a todos os colaboradores que se tornam pais biológicos ou por adoção, e aumentou para 665 euros brutos – um crescimento de 48% em relação a 2021. Acresce a oferta do “Kit bebé” com vários utensílios e produtos.

Além destas medidas, a insígnia disponibiliza ainda o programa “CÖNTIGO”, que fornece apoio, de forma confidencial, aos colaboradores em diferentes situações da sua vida pessoal; e que inclui um plano de apoio financeiro, caso um funcionário esteja a passar por uma situação excecional que não seja coberta pelo sistema público de apoio social. Cláudio Valente destaca também o seguro de saúde que disponibilizam a todos os efetivos, e que é extensível aos filhos e cônjuge, por “um custo reduzido”; o seguro de vida para todos os contratos permanentes; o acesso a refeições no restaurante de colaboradores, a “preços muito reduzidos”; e o desconto de funcionário.

Por fim, tanto o “One IKEA Bonus” – sistema de bónus para todos os colaboradores, associado aos resultados de negócio – como o “TACK!” – programa de fidelização focado na vida dos colaboradores – estão disponíveis para todos os funcionários elegíveis.

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária