sexta-feira, 20 setembro 2019 19:14

Mais de 100 parceiros subscrevem aliança para a economia circular do plástico

Mais de 100 parceiros públicos e privados que operam em toda a cadeia de valor dos plásticos assinaram, esta sexta-feira, a Declaração da Circular Plastics Alliance (CPA), a aliança para a economia circular do plástico, que promove ações voluntárias para o bom funcionamento do mercado comunitário dos plásticos reciclados.

 

A declaração explica como a aliança irá atingir, até 2025, o objetivo de 10 milhões de toneladas de plástico reciclado para fabricar anualmente novos produtos na Europa. Este objetivo foi fixado pela Comissão Europeia na Estratégia para os Plásticos de 2018, a qual se enquadra nos esforços empreendidos para fomentar a reciclagem do plástico na Europa.

“Congratulo-me com os compromissos assumidos pela indústria no sentido de repensar a forma como produzimos e utilizamos os plásticos. A reciclagem eficiente dos plásticos permitirá limpar o planeta e combater as alterações climáticas, através da substituição de combustíveis fósseis por resíduos plásticos no ciclo de produção”, declarou o primeiro vice-presidente da Comissão e responsável pelo pelouro do desenvolvimento sustentável, Frans Timmermans.

“Temos uma oportunidade de fazer da nossa indústria um líder mundial no mercado do plástico reciclado. Há que aproveitá-la para proteger o ambiente, criar novos empregos neste setor e permanecer competitivos”, sustentou, por sua vez, a comissária responsável pelo Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e PME, Elżbieta Bieńkowska.

A declaração foi assinada por pequenas e médias empresas, grandes empresas, associações empresariais, entidades de normalização, organismos de investigação e autoridades locais e nacionais.

Assume a meta de 10 milhões de toneladas de plástico reciclado e apela a medidas para acabar com a deposição de resíduos de plástico na natureza e em aterros. E, para atingir esse objetivo, são apontadas ações concretas, designadamente: melhorar a conceção dos produtos de plástico para os tornar mais recicláveis e neles integrar mais plástico reciclado; identificar potencialidades inexploradas de recolha, triagem e reciclagem de resíduos de plástico em toda a UE, bem como lacunas ao nível do investimento; definir uma agenda de investigação e desenvolvimento para o plástico numa economia circular; e estabelecer um sistema de monitorização transparente e fiável para seguir todos os fluxos de resíduos de plástico na UE.

Fonte: Comissão Europeia

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária