segunda-feira, 17 fevereiro 2020 16:49

O alerta do BRC: sem acordo com UE, consumidores britânicos vão sofrer

O Bristish Retail Consortium (BRC) acaba de lançar um relatório sobre as negociações entre o Reino Unido e a União Europeia, advertindo que, sem um acordo pragmático, os consumidores vão enfrentar custos elevados e uma menor disponibilidade de produtos.

 

Intitulado “A Fair Deal for Consumers: EU Trade Roadmap”, o documento recorda que cerca de 80% de todos os produtos alimentares que os retalhistas importam são provenientes da União Europeia. A maioria desses produtos entra através dos portos de Dover e Folkestone, por onde passam quase sete mil camiões por dia, 10 mil nos períodos de maior atividade.

Em consequência, a associação dos retalhistas britânicos reclama algumas medidas mitigatórias do impacto do Brexit, a saber a criação de uma zona sem impostos e a coordenação em torno de assuntos como o IVA e os procedimentos alfandegários.

 “O governo deve estabelecer processos de importação e exportação, bem como as infraestruturas necessárias para proceder às necessárias verificações. Vai ser preciso contratar funcionários e dar-lhes formação para efetuarem essas verificações. Os sistemas de tecnologias de informação têm de ser adaptados e testados”, alerta.

“A questão é simples – tarifas mais elevadas e fiscalizações mais profundas vão prejudicar os consumidores, os retalhistas e a economia britânica”, sustenta a presidente do BRC, Helen Dickinson.

Refere, concretamente, que a introdução de “verificações excessivas e evitáveis significará que as empresas são enfrentar uma montanha de papel, que terá de ser preenchida por um exército de novos funcionários, sobrecarregados com exaustivas fiscalizações a milhares de camiões por dia”.

“E o resultado para os consumidores serão custos mais elevados e menor disponibilidade de produtos nas prateleiras”, adverte.

Fonte: BRC

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária