quinta-feira, 05 agosto 2021 15:47

Logística: IKEA fortalece o e-commerce

“A pandemia trouxe muitos desafios à IKEA”, começa por dizer a Country Customer Fulfilment Manager da IKEA, Magdalena Anaut, salientando que é dessa forma, todavia, que o negócio e as pessoas mais crescem. Exemplar a esse nível foi o que passou, no último ano, com o rápido desenvolvimento do e-commerce. “Durante o primeiro confinamento, entre março e abril, em determinadas alturas, e em algumas secções, as vendas online chegaram a crescer mais de 10 vezes que o habitual, como foi o caso do mobiliário de escritório, por exemplo”, revela, observando que, para a IKEA, a casa sempre foi o lugar mais importante do mundo.

“A pandemia veio realçar este facto nas nossas vidas, e, também, a necessidade de aprimorarmos as nossas casas, com produtos funcionais, bonitos e acessíveis”, diz.

“Sendo uma empresa global, com unidades de produção, fornecedores e prestadores de serviços externos em todo o mundo, estamos constantemente à procura da melhor forma de desenvolver a nossa cadeia de valor para a tornar mais ágil e eficiente, acompanhando a procura dos consumidores que se encontra em constante evolução. Durante este período de pandemia, a nossa cadeia de valor tem vindo a ser afetada e temos enfrentado desafios na manutenção de níveis de produção e transporte de determinados produtos”, afirma.

A produção de muitos dos nossos parceiros em todo o mundo foi afetada, num período em que houve uma procura no mercado bastante superior à antecipada num período normal”, revela, explicando, pois, que, nessa medida, a IKEA não conseguiu “ter elasticidade suficiente” na cadeia de valor para absorver esse pico de crescimento e está desde então a tentar estabilizar os níveis de stock, através de estratégias diferenciadas de planeamento de encomendas, bem como alguns investimentos cirúrgicos em determinadas áreas de produção.

Com todos estes desafios, a empresa tem canalizado muitos dos recursos para o ecommerce, de forma a fortalecer a capacidade de resposta e a “prestar o melhor serviço possível aos portugueses”. “A nossa ambição é tornar a IKEA mais acessível e próxima da maioria das pessoas. Por isso, esta adaptação de resposta aos efeitos da pandemia passou, essencialmente, por melhorar os processos de trabalho, dar mais formação aos nossos colaboradores, alargar e reforçar as equipas, e estabelecer uma melhor coordenação com os nossos parceiros externos”, justifica.

Magdalena Anaut exemplifica com a criação e adaptação das áreas de recolha de encomendas, “Click & Collect”, onde face a uma procura superior à habitual, e uma visível mudança no comportamento dos clientes, bem como a constante procura por assegurar todas as condições de segurança, levaram a “desenvolver áreas mais funcionais para a gestão destas encomendas, de forma mais eficiente e segura”. Por outro lado, houve um reajuste e adaptação à nova realidade, complementando, por exemplo, a capacidade instalada dos parceiros de entregas, com serviços prestados diretamente pelos colaboradores das lojas IKEA.

“Continuamos, de forma mais invisível, a investir nas infraestruturas digitais e físicas para apoiar os a nossa estratégia omnichannel, continuando também com diversos projetos que procuram dar resposta à grande aceleração do crescimento do negócio online”, avança, adiantando o desenvolvimento de uma nova plataforma global de gestão das encomendas online como um dos exemplos cuja implementação a IKEA conseguiu acelerar neste período. “Esta recente plataforma foi pensada para assegurar a satisfação dos clientes IKEA, através da seleção automática da unidade, ou unidades, ideais para a saída das encomendas, recorrendo a uma avaliação de diversos fatores, sendo os principais a disponibilidade de stock, tempo de entrega e distância”, observa.

“Atualmente, as nossas cinco lojas são as nossas maiores plataformas logísticas e, no futuro, ainda terão uma maior relevância na cadeia de valor”, observa. “Procuramos usar o espaço e os recursos de forma inteligente, eficiente e com o menor impacto ambiental possível, assegurando os menores custos logísticos. Dessa forma, os produtos podem ter preços cada vez mais baixos para a maioria das pessoas. As nossas lojas, com a sua distribuição geográfica, capacidade operacional e recursos humanos alocados são a solução ideal para este objetivo. Continuamos assim a trabalhar permanentemente para oferecer o melhor serviço possível para os nossos clientes, em todos os pontos de contacto IKEA”, conclui.

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária