Opinião

15-10-2018

1991. Nasce neste ano a Concertação Social portuguesa com a criação do Conselho Económico Social (CES), um órgão de relevo constitucional, de consulta e concertação no domínio das políticas económica e social. A Comissão Permanente de Concertação Social torna-se, de ora em diante, no centro nevrálgico da Concertação Social portuguesa: é aqui que se produz o diálogo social tripartido – Governo, Confederações Empresariais e Confederações Sindicais –, é aqui que nascem e se celebram os acordos de concertação social.

10-09-2018

A Comissão Europeia divulgou recentemente o texto de uma proposta de Directiva a aprovar pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho relativa às práticas comerciais injustas (unfair trading pratices ou UTP) em relações entre empresas (B2B), ocorridas na fileira alimentar (“Proposta”). Simultaneamente, está em curso em Portugal a avaliação do decreto-lei que reformulou o regime aplicável às PIRC – o DL n.º 166/2013, de 27 de Dezembro (“DL PIRC”) – com vista à sua manutenção, reformulação ou eventual abolição.

09-08-2018

A era digital ditou uma mudança no comportamento dos consumidores, que estão mais informados em virtude do acesso à informação facilitado pelas novas tecnologias. A perceção que têm do custo de mudança para a concorrência é cada vez menor e o acesso a outras marcas está, de facto, muitas vezes, à distância de um clique. Fidelizar clientes é, por isso, cada vez mais difícil. Significa construir relações fortes e de longo prazo com os clientes, criando uma imagem de marca diferenciada.

12-03-2018

A Deloitte divulgou recentemente a 21.ª edição do relatório anual Global Powers of Retailing, no qual se identificam os 250 maiores retalhistas do mundo e se analisa o desempenho obtido pelo setor, ao nível do volume de negócios, crescimento e rentabilidade nas várias geografias, segmentos de atividade e formatos de loja. Este é o ponto de partida para uma análise de Pedro Miguel Silva, associate partner da Deloitte Portugal.

15-02-2018

As carteiras, tal como as conhecemos, têm os dias contados. Vai ser o fim das moedas a tilintar nos bolsos, da procura frenética e errante pelos cartões bancários, dos vincos nas calças. Graças ao desenvolvimento tecnológico, está aí o despertar, a nível global, do interesse nos wearables que vão tornar as carteiras uma coisa do passado. Este é o ponto de partida da análise de Paulo Raposo, country manager da Mastercard Portugal, sobre a evolução dos meios de pagamento.

23-10-2017

A última década ficou marcada por mudanças significativas na estrutura económica, demográfica, social e tecnológica das famílias portuguesas. Essas mudanças tiveram um impacto significativo na forma como as famílias avaliam e concretizam as suas escolhas de consumo.

Newsletter

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária