segunda-feira, 25 agosto 2014 16:37

O novo paradigma do e-market place: humanizar os negócios

"O Social Media foca o seu core nas relações pessoais e afetivas. Porque não transportamos esse objetivo para os negócios online?". Este é um dos pontos de vista defendidos por Ricardo Oitavén, fundador da Hook Biz, num artigo de opinião sobre o novo paradigma do e-market place.

"O novo paradigma da internet trouxe-nos inúmeros desafios e, simultaneamente, diversas oportunidades. O Social Media, o Big Data, a Cloud e a Internet das Coisas abriram-nos um novo horizonte, caracterizado pelas novas dinâmicas de interação, partilha e negociação. Se utilizamos estes canais para criar amizades, partilhar imagens, processar dados e estar sempre conectados ao "mundo virtual", porque não os usamos, também, para expandir, internacional e aumentar os nossos negócios de forma mais assertiva, direta e humana?

A revolução dinâmica da internet permite-nos ligar o nosso negócio a qualquer parte do mundo, tornando-nos fornecedores de serviços e matérias-primas, apenas com a utilização de alguns "clicks". Contudo, muitos dos formalismos e barreiras que são criadas pela "distância" física na hora de negociar qualquer transação, ainda não foram totalmente eliminados. É esse o nosso próximo desafio.

Temos, cada vez mais, de aproximar as extremidades de um processo de negociação e venda online. É fundamental que os decisores, de ambas as partes, construam uma relação próxima, que extravase os simples conceitos de compra e venda, ou comprador e vendedor. O Social Media foca o seu core nas relações pessoais e afetivas. Porque não transportamos esse objetivo para os negócios online? Ao fazermos isso, estaremos a contribuir para aproximar culturas, países e crenças, tornando o mundo das transações comerciais online em algo mais humano.

Estreitando as relações entre decisores, utilizando os mecanismos já amplamente dissecados e enraizados no nosso quotidiano de utilização das redes sociais, poderíamos criar um novo paradigma de e-market place, aumentando os níveis de confiança, cooperação e entreajuda. A humanização dos negócios online é uma extensão natural de todos os preceitos já fundamentados e comprovados pelas experiências da nova internet. Temos apenas de desbloquear as barreiras do formalismo e da burocracia, criando uma nova vaga no e-market place, onde as relações pessoais e a empatia entre partes esteja bem patente.

Se não aproveitarmos todas as funcionalidades e características ao nosso dispor neste contexto de constante evolução da internet, nunca seremos capazes de potenciar, verdadeiramente, os nossos alicerces enquanto sociedade global. A proximidade pode, e deve, ser uma característica nos negócios online. Ao criarmos empatia com o "outro lado", mesmo sem nos conhecermos pessoalmente, estaremos a alavancar o nosso negócio. Seremos mais facilmente recomendados ou bem classificados, não só enquanto prestadores ou fornecedores de algo mas, essencialmente, enquanto pessoas credíveis e justas.

A nossa visão da sociedade de futuro carece da presença destes conceitos em todas as suas atividades. Não deixemos que no e-market place a dinâmica seja diferente. Humanizemos os processos de venda, e continuemos a pugnar pela metaforização do "aperto de mão", mesmo que virtual, enquanto sinal de respeito, credibilidade e proximidade no mundo dos negócios".

Fonte: Store

 

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária