segunda-feira, 18 janeiro 2021 16:08

PPUE: A visão da Sonae

A Head of Public Affairs da Sonae, Leonor Sottomayor, analisa os principais dossiês da Presidência Portuguesa da União Europeia, num ano que será de grandes mudanças globais e que, muito particularmente, será um ano de reconstrução socioeconómica.

Uma pandemia global, a urgência das alterações climáticas, a transformação digital e consequente necessidade de requalificar milhões de trabalhadores e a pior crise económica de que há memória. Há quem refira o grande reset. A expressão pode fazer sentido, e Portugal está no sítio certo para discutir aquilo que também será o seu próprio futuro.

Uma Presidência da União Europeia é muito mais do que simbólica. Permite a definição da agenda e a possibilidade de introduzir temas ou soluções para os debates entre os estados-membros. Nesse sentido, o momento em que decorre a Presidência Portuguesa será um momento decisivo. O próximo ano seria sempre um período de enormes mudanças, ainda com temas como o Brexit e o financiamento europeu em cima da mesa, mas torna-se ainda mais decisivo num contexto de reconstrução socioeconómica.

A União Europeia prepara-se para discutir a implementação do novo green deal. Uma política para travar as alterações climáticas, que muda profundamente o nosso sistema económico. Será um desafio para todos. Sociedade, trabalhadores e empresas. Da mesma forma, prepara-se para enfrentar o repto da transição digital, do impacto da robotização ou da inteligência artificial. Está na agenda preparar a requalificação de milhões de cidadãos europeus, garantindo-lhes novos instrumentos e conhecimentos. É neste extraordinário contexto que a União Europeia tem a oportunidade de reconstruir uma Europa mais resiliente, verde e digital, preparando-se para a economia do futuro.

Esta Presidência já anunciou que o pilar social terá um lugar de destaque no primeiro semestre de 2021, culminando na Cimeira Social, no Porto. A dupla transição verde e digital só será possível com as pessoas no centro desta reconstrução, e a requalificação e melhoria das competências digitais são peças-chave deste futuro europeu. A SONAE MC, por exemplo, tem o projeto “Centro Qualifica SONAE MC”, que reconheceu, validou ou certificou competências de mais de 596 trabalhadores desde 2017, demonstrando a importância da articulação entre empresas e Estado. No âmbito digital, destacamos o canal “Wortubers”, da Worten. Esta é uma plataforma de formação interativa em que os próprios trabalhadores partilham conhecimento, cultura e know-how em formato multimédia. Desde 2018 conta com mais de 150 vídeos e mais de 15.000 visualizações.

O mês de janeiro, no início da Presidência Portuguesa, marcará simbolicamente uma alteração das circunstâncias.  Com uma vacina, as prioridades estarão dirigidas para o retomar do quotidiano, através desta profunda reformulação socioeconómica que irá gerar oportunidades para milhões de europeus. Estaremos no momento certo e no lugar certo para dirigir um debate global que inevitavelmente mexe com o nosso dia a dia. E o grande desafio será demonstrar que é possível reconstruir a economia não abdicando dos pilares de sustentabilidade, social e ambiental.

A SONAE está presente em dezenas de diferentes mercados. Estamos entre os maiores empregadores privados nacionais e temos múltiplas iniciativas alinhadas com as políticas europeias, como na área da sustentabilidade, requalificação ou economia circular. Comprometemo-nos a atingir a neutralidade carbónica até 2040, subscrevemos publicamente o green deal e a SONAE MC foi o primeiro retalhista nacional a assinar o Pacto Português para os Plásticos. Temos hoje um conhecimento único da realidade socioeconómica portuguesa. Dos seus cidadãos e das suas empresas. Dos seus desafios e das suas oportunidades. E acreditamos na partilha desse conhecimento enquanto mais valia nos processos de tomada de decisão que temos pela frente. Todos ganhamos com isso.

 

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária