quinta-feira, 28 julho 2022 10:42

Emprego no retalho: expectativa vs. realidade

A Business Manager e a Senior Account Manager da área de Field Marketing da Multipessoal, Sónia Silva e Susana Vasques, debatem, a partir da sua experiência, as carreiras no setor do retalho.

O setor do retalho é, na vertente privada, o que mais emprega em Portugal. No entanto, é ainda entendido por muitos como pouco atrativo e apenas como uma alternativa temporária ou um quick fix para trabalhadores menos qualificados ou em início de carreira. Conceções de precaridade, salários baixos ou elevada rotatividade são comumente associadas à área, mas será que a perceção social corresponde à realidade?

À semelhança do que acontece transversalmente a outros setores, tem-se verificado uma forte aposta por parte dos empregadores no retalho no sentido de atraírem e reterem o melhor talento. As marcas e empresas reconhecem que o perfil dos consumidores se alterou, ao longo dos últimos anos, e que é fundamental contarem com profissionais que possam dar resposta às suas necessidades e expetativas. Hoje, além de uma forte orientação para o cliente, competências ao nível tecnológico, por exemplo, são um must have, e observa-se uma clara tendência de profissionalização e especialização crescentes.

Assim, o paradigma tem vindo a alterar-se drasticamente no que se refere ao recrutamento no setor do retalho. Hoje em dia, além de oferecerem salários mais competitivos, as empresas investem cada vez mais num acolhimento adequado e acompanhamento contínuo dos seus colaboradores, bem como na oferta de oportunidades de formação e na definição de planos de carreira.

Com base na nossa experiência, assistimos a cada vez mais casos em que se constroem carreiras sólidas no retalho, começando, por exemplo, no papel de repositor, promotor ou beauty advisor. Trabalhamos com vários profissionais que, após uma experiência mais pontual ou temporária, acabam por ser convidados a integrar os quadros das empresas. Existem, efetivamente, oportunidades valiosas neste setor e acreditamos que, havendo uma verdadeira paixão pelo serviço ao cliente e entrega à missão das marcas, o mérito traduz-se em progressão e constantes novos desafios.

Por outro lado, as novas tendências no setor refletem-se também numa busca por perfis mais diversificados de colaboradores. Especialistas em tecnologia, sistemas financeiros, marketing e e-commerce, por exemplo, estão hoje entre os mais procurados, o que vem alargar o conjunto de oportunidades de emprego na área do retalho. Estamos a falar de um segmento extremamente dinâmico, em constante e rápida evolução, cujos desafios se podem tornar bastante aliciantes do ponto de vista da aquisição de novos conhecimentos e competências, bem como da própria evolução na carreira.

A principal questão reside, então, na forma como o emprego no setor do retalho é percecionado pelos candidatos. Existe, ainda, um problema de reputação, com base em ideias talvez desatualizadas e desajustadas. O desafio para os retalhistas está, portanto, na inversão das conceções erradas, adotando estratégias que lhes permitam trabalhar as expetativas para corresponderem às novas realidades. A aposta nas pessoas, o investimento no seu desenvolvimento pessoal e profissional, a escuta ativa, e a promoção de um ambiente de trabalho saudável, equilibrado e estimulante deverão, sem dúvida, estar no topo das prioridades. Uma comunicação aberta e transparente, a partir do primeiro momento, fará, certamente, toda a diferença.

 Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária