segunda-feira, 01 agosto 2022 10:20

5G e retalho: uma inovação cheia de oportunidades

A rede 5G já chegou ao mercado português… a dar os primeiros passos na sua implementação, mas com um grande potencial de evolução e de adesão por parte dos clientes, seja a título empresarial, como individual. Todo um mundo novo por descobrir e explorar já acessível através de várias operadoras nacionais. Poderá esta nova tecnologia impulsionar o mercado do retalho? A nível internacional, são vários os meios a advogar o 5G como uma ferramenta impulsionadora do retalho.

“O lançamento do 5G tem o potencial de transformar o setor do retalho, ao inaugurar uma nova era de conectividade e experiência. Os avanços que esta nova rede apresenta devem aliviar muitos dos desafios que os retalhistas enfrentaram durante a pandemia de Covid-19. Ao acelerar drasticamente a velocidade das redes móveis, abre caminho a uma panóplia impressionante de inovações”, publica a EE Times Ásia.

Os primeiros passos e estudos para desenvolver o 5G, recorda a SB Shopping Basket, foram dados em 2011 e, decorrida uma década, prevê-se que a nova tecnologia comece a ser implementada em todo o mundo, estimando-se que, em 2021, tenham sido fabricados e distribuídos mais de 500 milhões de smartphones com capacidade para o 5G.  

Um relatório recente da Forrester Research, citado pela T-Mobile For Business, defende que a rede 5G tem um grande potencial de disrupção para permitir serviços e experiências no retalho mais rápidas, convenientes e transparentes que os consumidores mais exigentes desejam e, provavelmente, esperam. “E numa altura em que insights mais rápidos sobre o comportamento e as preferências do cliente, assim como mudanças operacionais igualmente rápidas, são vitais para o sucesso competitivo e entrega de experiências excecionais, a era 5G pode ser a chave”, antecipa o artigo.

A maioria das estratégias digitais no retalho, aponta a T-Mobile For Business, é baseada numa combinação de tecnologias de conectividade, como o 4G, Wi-Fi, identificação por radiofrequência (RFID) e, entre outras, Bluetooth. “Porém, como muitos retalhistas trabalham para se diferenciar com experiências e serviços mais personalizados e convenientes, a necessidade de conectividade mais rápida, confiável e com dispositivos inclusivos aumentou”, frisa a mesma publicação.

“As redes 5G emergentes são um potencial ponto de viragem para retalhistas que procuram agregar maior valor e obter insights mais abrangentes, desde merchandising, passando pela experiência de loja e ponto de venda. Os avanços na conectividade do 5G podem fornecer oportunidades importantes”, acrescenta.

Uma visão partilhada pela AT&T Business, com base num relatório recente da Federação Nacional de Retalhistas dos Estados Unidos, que alerta para os principais objetivos das novas gerações numa experiência de compra individualizada. “O relatório do IHL, Debunking the Retail Apocalipse, patrocinado em parte pela AT&T, diz que os retalhistas devem dar às pessoas razões convincentes para entrar nas suas lojas.”

Partindo destas conclusões, e segundo análise de dados e comportamentos, a AT&T Business acredita que a adição da tecnologia 5G a uma arquitetura de rede existente pode ajudar a impulsionar novas tecnologias que muitos retalhistas já estão a começar a utilizar, como a sinalização digital personalizada, a realidade aumentada, realidade virtual, vídeo e reconhecimento de padrões de clientes e aplicações móveis interativas. E aponta alguns exemplos.

“No provador do futuro, ‘espelhos mágicos’ interativos podem reconhecer os produtos que estão a ser experimentados por uma etiqueta RFID, podendo fornecer informações importantes sobre o cliente. Uma loja pode usar esses dados para exibir anúncios personalizados em tempo real, como um colar ou um par de sapatos que combinam na perfeição com o vestido”, refere, antes de explanar sobre as eventuais as melhorias no setor da hospitalidade. “Com o aumento da capacidade de rede, os hóspedes poderiam usar a entrada sem chave no quarto, mediante um telemóvel ligado à rede sem fios do hotel, o que poderia economizar dinheiro e proteger o ambiente, reduzindo a necessidade de cartões de plástico ou de outro material. Uma vez dentro do quarto, os hóspedes podem até ajustar a temperatura, cortinas e luzes através do seu telemóvel ou tablet de fácil utilização.”

Com o 5G, garante a AT&T Business, “as empresas podem ajudar a potencializar tecnologias novas e inovadoras com mais velocidade e confiabilidade, reunir mais dados e, por fim, contribuir para um relacionamento duradouro com os clientes.” “A tecnologia do futuro não significa necessariamente que a conexão humana está perdida ou perdeu importância na experiência de compra no mercado do retalho. Na verdade, se utilizado de forma inteligente e eficaz, pode ser o oposto” escreve a publicação.

Segundo a SB Shopping Basket, por exemplo, “graças ao uso da IoT [Internet of Things] conectada com o 5G será possível ter uma grande quantidade de dados como temperatura, localização e outras informações adicionais que permitirão que a supply chain compile informações de forma constante e facilmente acessível. Já se fala na quarta revolução industrial graças à sua transformação digital. A otimização do processo é uma das grandes vantagens. O trabalho será mais eficiente e o tempo necessário para a realização de um processo será reduzido”, destaca.

Além destes, a EE Times Ásia refere ainda as compras sem contacto. “Esta tendência vai continuar para além da pandemia, com o 5G a aportar futuras melhorias. O pagamento móvel e a compra perfeita tornar-se-á uma realidade, eliminando a necessidade de interação física com os vendedores. Ativada por voz monitores de vídeo digitais, irá automatizar muitas das funções anteriormente desempenhadas por assistentes de loja.”

O inventário da loja e a logística, de acordo com a mesma publicação, sairão igualmente beneficiados com o recurso à nova rede: “Com 5G, sistemas de back-end baseados na cloud dos retalhistas poderão ser acessíveis em tempo real, melhorando o desempenho. Com sensores implantados nas prateleiras, a informação será transmitida de imediato, garantindo níveis de stock e localização de equipamentos precisos e constantemente monitorizados.”

A maior largura de banda de 5G, “proporciona a visibilidade a 360 graus de toda a cadeia de abastecimento, eliminando a maior parte do atrito dos processos existentes e reduzindo as perdas. Fornecendo aos retalhistas dados mais precisos sobre os padrões de uso pode possibilitar ainda a racionalização e redução do stock desperdiçado.”

Apesar das inovações que o 5G permite, a publicação reconhece que adiciona uma maior complexidade aos sistemas em vigor e, para compensar financeiramente, “devem ser repensadas as formas de atuação, testar e monitorizar o desempenho da experiência digital.”

“À medida que as marcas continuam a lutar com o apocalipse do retalho, o advento das redes 5G oferece um vislumbre de esperança para que criem experiências digitais mais profundas que impactam positivamente os resultados financeiros”, conclui.

Sendo uma realidade já palpável e acessível, a SB Shopping Basket sublinha as “infinitas oportunidades e aplicações práticas” com o 5G. Ao longo de 2021 foram lançados os primeiros telemóveis com capacidade para sustentar a rede e a própria tecnologia 5G, já disponível também em Portugal através da NOS, Vodafone e Altice Portugal.   

 

Fonte: Store

Newsletter

captcha 

Estante

Assinar Edição ImpressaAssinar Newsletter Diária